Pressione ESC para fechar

Ciência

Coronavírus COVID-19 e os Ciclos Matemáticos da História

A pandemia produzida pelo coronavírus COVID-19, que já abrange praticamente todo o mundo, terá efeitos sanitários, económicos e políticos difíceis de prever. A nossa sociedade, habituada ao curto prazo, demonstrou que não é capaz de se antecipar ou estar preparada para enfrentar situações de crise como a que vivemos. Mas há investigadores que dedicam o seu esforço científico para descobrir padrões de repetição em eventos violentos ou de desestabilização da sociedade, tentando fazer da investigação da História uma ciência que nos permita antecipar essas situações. É o caso de Peter Turchin, cientista russo-americano especializado na evolução cultural e cliodinâmica , uma nova disciplina de modelação matemática e análise estatística da dinâmica das sociedades históricas.

A Outra Face de Isaac Newton: O Alquimista

Newton não se preocupou somente em querer conhecer as leis do mundo externo. Ele também procurou conhecer as leis do seu mundo interno, não limitou o seu campo de saber apenas àquilo que imprime os sentidos físicos; assim sendo, ele foi o cientista pleno e a ele se poderia atribuir o título que foi atribuído a tantos que, tal como ele, exerceram este magistério de unir o Céu e a Terra, um Mago.

Provas Científicas da Homeopatia

Quando Galileu através do primeiro telescópio, descobriu as crateras lunares, as órbitas de Vénus e os satélites de Júpiter, o mundo medieval entrou, de facto, em colapso. Nas suas ideias, o domínio eclesiástico e inquisitorial foi cedendo face às novas evidências. As sementes da verdade cresciam lenta, invariável e poderosamente nas consciências abertas de uma nova geração.

Amanhecer e Ocaso do Homem Tecnológico

Que importância teve a técnica no devir da Humanidade? Nos nossos dias, estamos imbuídos num culto à técnica, de tal maneira que calibramos os graus e excelências das civilizações com base nas suas técnicas mais ou menos avançadas. Nem todos os povos deram a mesma importância à técnica e é um erro observar as diferentes civilizações do ponto de vista do desenvolvimento, somente neste aspeto.

Ciência e Dignidade

Quando e porquê a ciência e a filosofia se separaram? Os filósofos da ciência não conseguem situar, claramente, o momento de início dessa separação, sobretudo quando surgem, ao longo da história e até hoje, grandes cientistas que também se atreveram com a filosofia.

Mitos, ritos e símbolos – introdução à antropologia do sagrado

A religião não foi um luxo dos que tinham o estômago cheio. A religião é o alfa e o ómega da condição humana. Existe desde o princípio da sua «humanização» (o autor previne-nos que não devemos confundir com «hominização», que é somente morfológica), e persiste durante e enquanto sejamos tais e tenhamos a capacidade de assombro face ao mistério, tal como menciona Aristóteles na sua Metafísica.

A magia antiga na ciência moderna

A magia é negada e apelidada de superstição do ignorante filósofo antigo. No entanto, encontramos magia em cada papiro; magia em todas as fórmulas religiosas; magia engarrafada num frasco com milhares de anos e fechado hermeticamente; magia em trabalhos modernos e encadernados com elegância; magia nos contos mais populares; magia em encontros sociais; magia – pior do que isso, FEITIÇARIA – em todo o ar que se respira na Europa, América, Austrália: quanto mais civilizada uma nação, mais formidável e efectivo o eflúvio de magia inconsciente que esta emite e é armazenado na sua atmosfera circundante…

O primeiro homem na América?

Tudo encaixava na perfeição, no final da última glaciação o mar tinha retrocedido o suficiente para que tivesse uma amplíssima passagem no atual estreito de Bering. O suficiente para que a hipótese se convertesse em teoria, e com uma ou duas gerações de estudiosos, em dogma inamovível. E ai de quem se atreva a atacá-lo!

A vida extraordinária das plantas

Conheça as descobertas científicas sobre a inteligência e comunicação no mundo vegetal. Para nós as árvores não têm olhos, ouvidos, coração, voz, nervos, pulmões, intestinos, sangue, cérebro, no entanto isso não é totalmente certo. As árvores são mais parecidas a nós do que pensamos, mas não do modo que poderíamos esperar.

Estudos anatómicos de Leonardo da Vinci

Uma das características muito particulares da aplicação dos estudos anatómicos de Leonardo, o que demonstra o seu olhar profundo que busca não só o entendimento das formas e da sua funcionalidade mas as causas que as movem, é o modo como os movimentos musculares e dos membros reflectem estados de alma.