Pressione ESC para fechar

Yuri Raposo

Malcolm X na Concepção Filosófica Freireana. Análise Cinematográfica para o Conceito filosófico

Yuri Raposo 1 268

Malcolm X é um filme que aborda a vida de um sujeito, repleta de acontecimentos que marcam uma linha cronológica similar à grande parte dos afro-americanos oprimidos socialmente no século XX. A mensagem do mesmo é mantida viva e o filme foi de grande contribuição para incentivar a importância da luta por direitos iguais, compensação histórica e maneiras de se trilhar o futuro. Durante todo o enredo do filme, encontram-se cenas icónicas, marcadas na história, sendo revividas pelo ator que o interpretou, Denzel Washington, que expõe tamanha responsabilidade. “Não era fácil e, ficar de pé em frente de 200, 2000 pessoas, fazendo os discursos, sentindo e tentando despertar nas pessoas com o que você diz, criando esperança que aconteça, é algo intimidante” (DENZEL…,2013). Mas, também, alguns acontecimentos foram marcantes por trás das câmaras, como: escolha de direção, conduta do elenco e orçamentos. Para tal, era um grande desafio a ser trilhado. Foi filmado no ano de 1991, mas acabou por ser lançado apenas no ano de 1992, após o diretor notar que necessitaria de um orçamento maior do que o liberado pelo estúdio, assim, o mesmo arrecadou dinheiro “como presentes” de diversos artistas e atletas afro-americanos para a conclusão do projeto. Dentro desta obra riquíssima de aprendizados e culturas, foi realizado um filtro para que num momento chave, viesse a convergir com a proposta do filósofo e professor, Paulo Freire. Esse momento é o da prisão de Malcolm, no filme, e está em 59:00 minutos de 3:35 (Malcolm X, 1992) e na autobiografia Chapter 9: Caught (X; HALEY, 2015). O ato que é posto em destaque, é o fato de Malcolm ser tocado pela educação justamente quando encontra-se fora do seu meio comum, na sua privação de liberdade e, principalmente, quando percebe que é através da educação que conseguirá libertar, a si e ao seu povo, da opressão social.

Continue lendo