Pressione ESC para fechar

Delia Steinberg Guzmán

A Fortaleza Perante as Dificuldades

Quando se iniciou 2020, ainda não sabíamos o alcance dos momentos difíceis que teríamos que viver. Ao fim de pouco tempo, propagou-se uma pandemia que afetou a maioria – se não todos – os países do mundo, demonstrando que, nestes casos, o que consideramos diferenças não existem. Somos todos seres humanos, somos todos vulneráveis a doenças e a todos nos afecta a dor. Imagem: Atena.

A História Repete-se?

Muitos foram os estudantes de história e especialistas nas várias disciplinas – sem contar com os milhares de interessados na questão – que fizeram esta pergunta. É evidente que não existe uma resposta simples e que responder sim ou não requer, no mínimo, que se tenha em conta algumas considerações. Precisamente aquelas que pretendemos abordar aqui da maneira mais humilde nestas páginas. Imagem: A Expulsão dos Judeus, por Roque Gameiro (Quadros da História de Portugal, 1917).Dominio Público

Sobre a sanidade

Entre tantos valores que se sentem falta, a sanidade ocupa um lugar muito especial. Se estar lúcido é o contrário de estar louco, hoje existem características variadas de loucura em todos os níveis humanos, ao ponto que é difícil reconhecer quem é quem e de onde se encontra o subtil limite que diferencia uns dos outros. Imagem: Alegoria da Prudência. Girolamo Macchietti. Dominio Púlico

Saúde para a Alma

À medida que cresce no mundo todo o tipo de preocupações; à medida que as condições de sobrevivência tornam-se mais difíceis em muitos países; à medida que aumentam os confrontos pelos motivos mais absurdos, por mais importantes que até pareçam; apesar de tudo isto, aumenta a ansiedade na procura de uma saúde melhor.

As Leis da Natureza

O desconhecido pode ser maior, mais amplo, mais elevado, mais maravilhoso, mais forte, mais luminoso do que conhecemos, mas nunca será absolutamente diferente. Devemos ir ao encontro do desconhecido, ou seja, daquilo que nos falta saber, não com medo, mas com a alegria espiritual daquele que vai descobrindo as leis inexploradas da Natureza e os poderes latentes do homem.

A Alma da Mulher

Chamou-me a atenção uma página de um jornal em que aparece o seguinte título “as mulheres avançam”. Sim, é possível. É uma longa história de reivindicações, uma longa luta para que a mulher possa ocupar um papel digno dentro da sociedade. Mas não deixo de perguntar-me, se vamos pelo caminho correto, se teremos escolhido a via justa, porque todas estas reivindicações pedem para a mulher maior desenvolvimento económico, maiores possibilidades de trabalho, maior segurança no trabalho, maior respeito, maior dignidade… mas como se fosse um posto, um sitio dentro da sociedade, como se fosse nada mais que um sitio físico. E a minha pergunta é: Vamos pelo caminho correto? Porque muito poucas vezes se toma em conta, além deste sítio, desta dignidade e deste respeito, a alma da mulher.

Acerca da sanidade

Se estar são é o contrário de estar louco, hoje em dia, observam-se variados traços de loucura a todos os níveis humanos, a tal ponto que é difícil reconhecer quem é quem e onde está a fronteira subtil, que diferencia uns dos outros.

O Homem e o Mundo: uma filosofia em ação

Talvez que a maior dificuldade com que se depara a Nova Acrópole seja a de propor uma via espiritual e prática no meio de um conjunto de ideias que tudo materializam em busca de resultados imediatos. As pessoas querem espiritualidade hoje, resultado já amanhã e pretendem ver as mudanças ainda antes de terem transformado o seu próprio ser interior.

Tristão – o mito e os símbolos

É difícil encontrar as raízes deste mito-história que se dilui no tempo e que bem conhecemos, pois converteu-se numa das tradições poéticas mais espalhadas na Europa da Idade Média, tendo inspirado narrativas e romances nas Ilhas Britânicas, França Alemanha, Espanha, Noruega, Dinamarca e Itália.