Pressione ESC para fechar

Clorofluorcarbonetos

É Imparável o Efeito Estufa?(1)

Jorge Ángel Livraga 0 254

O fenómeno de um progressivo aquecimento da atmosfera está a semear inquietude entre os cientistas e um princípio de pânico entre aqueles que estão sempre preparados para anunciar o fim do mundo, com o perigo de uma psicose coletiva que vem entristecer ainda mais a nossa angustiada civilização. A Agência de Estatísticas da Comunidade Económica Europeia faz-nos saber que 1988, 1987, 1983, 1981, 1980 e 1986, nesta ordem de prioridades, foram os anos mais quentes de todo o século XX. Em detalhe, é referido que os valores mais altos da última década ocorreram no hemisfério sul. Os dados assinalam que enquanto o aumento no hemisfério norte, nos últimos cem anos, não chegou a 1ºC, no sul alcançou 3ºC. Destacamos que estas cifras não devem ser levadas ao pé da letra, pois em boa parte são estimativas resultantes do facto de não ter existido, durante a primeira metade do século2, uma preocupação por este aquecimento; e não ter existido, até há poucos anos, várias estações fiáveis comparativas no hemisfério sul. Embora não tenhamos registado um acordo total entre os especialistas, devido à complexidade teórica das causas possíveis do fenómeno, predomina a opinião generalizada –e muito provável– de que a outrora tão louvada “sociedade de consumo”, com o auge de indústrias, aerossóis, desertificação, aumento demográfico e aeronaves que voam a grande altitude; seja a responsável por um futuro desastre a nível mundial.

Continue lendo