Recentes achados trazem mais conhecimento sobre a pré-história no Amazonas

Um estudo da Universidade de Gotemburgo e arqueólogos brasileiros demonstra que a capacidade de armazenamento de água permitiu a povos da pré-história colombiana ocupar locais distantes dos grandes rios, contrariamente ao que se conhecia até agora.

O projecto durou dez anos e estudaram-se 110 locais de ocupação humana localizados maioritariamente no planalto de Belterra, a sul de Santarém, na Amazónia brasileira, correspondentes ao período entre 1500-1300 a.C.

Encontraram-se vestígios de cisternas para armazenar água no período de seca, em zonas onde a terra é fértil (aspecto relevante, uma vez que a região se caracteriza pelo solo pouco produtivo, o que sugere o uso agrícola), num estilo cerâmico comum (ver imagem), correspondente a um nível de organização comunitária de que não se suspeitava até agora.

Fonte
Comentários

Relacionados

O primeiro homem na América? Tudo encaixava na perfeição, no final da última glaciação o mar tinha retrocedido o suficiente para que tivesse uma amplíssima passagem no atual estre...
Pintura de uma erupção vulcânica de há 36.000 anos... A equipa dirigida por Michel Geneste identificou na gruta o que poderá ser a primeira representação de um fenómeno natural ou paisagem.
João de Lisboa – O Amanhecer do estudo da De... O navegador João de Lisboa merece o reconhecimento de grande precursor dos estudo sobre o magnetismo terrestre que foram incrementados a partir de mea...