Qual é a Natureza Humana?

Fotografia de Pierre Poulain / www.photos-art.org
Este texto de José Carlos Fernández foi inspirado na fotografia acima de Pierre Poulain, fazendo parte de um projeto intitulado FiloFoto.

Qual é a natureza humana? Fazer, dançar, viver, segundo os olhos que nos vêem? Para que nos olhem? Esperando que nos olhem? Abertos felizes como a cauda do pavão real ante a sua aprovação? Temerosos como a mimosa frente aos seus olhares sombrios, ou com pânico da sua indiferença?

Não, esse não é o verdadeiro ser humano, este segue as correntes do amor, as da criatividade. Ele não é um pedaço de mundo, alento de dragão; ele é o que faz o mundo — cada vez em maior harmonia com a natureza? — ele é o que luta e ainda vence o dragão. O cenário chama a ação, e a ação gera cenário; o leito do rio conduz as águas no seu seio pétreo, mas ao mesmo tempo as águas vão lavrando o seu curso, impercetivelmente. O caminho chama o caminhante, e o caminhante faz o caminho, mas não há caminho sem caminhante nem caminhante sem caminho. Os círculos e os terreiros chamam à dança, mas é a dança quem converte os terreiros em cenários. O amor, a chama inquieta do génio, a necessidade de criar beleza e de viver ao ritmo acorde da Beleza: assim avança a alma humana. O costume, a necessidade de aprovação sem ter em conta a estatura real de quem nos deve aprovar, o preconceito; detêm-na, estancam-na. Ah, mas quando alguém mostra a sua coragem de ser e criar e dançar segundo o ritmo espontâneo da sua própria alma, todos nos sentimos como aves sem asas, somente com cotos, que querem seguir o voo audaz de quem saúda o céu com a sua pujante liberdade!

Comentários

Relacionados

Um Caminho Mas não cedamos à ilusão da matéria. Onde todos caminham há uma senda, ainda que esta divirja, se entrecruze, se perca, se confunda com um labirinto, ...
Reflexo de árvores: a Arte da Natureza O artista, então, não só reproduz, como um ente mecânico. Depura e transmuta, como o alquimista, e através do crivo da sua imaginação e das suas mãos ...
O perfume das flores temporãs É lógico que no meio destas aventuras e encontros de fraternidade surjam também conversações da alma, essas que deixam impressões inapagáveis e dão se...
A honestidade, verdadeira beleza A falta de honestidade no ser humano é um problema não só individual, como também social. Uma pessoa honesta inspira confiança enquanto que o contrári...
Como a mente constrói e destrói a realidade A Unidade é a presença do eterno em nós, o ponto de partida e o ponto de chegada da alma que regresse a casa. O mal e o sofrimento são a consequência ...