ISIS “Senhora dos Mil Nomes”

isis0
Isis com os seus atributos (trono/escada, Cornos em forma de lira com o disco solar, abutre).

Isis é a Grande Mãe e a deusa princípal do Egipto, era a Senhora de cada nomo, presente em todas as cidades. Em Tebas chegou a ser considerada a deusa primordial e em Gizé possuía um templo onde era venerada como “Isis, Senhora das Pirâmides”.

A sua importância e popularida fez que o seu culto ultrapassasse fronteiras e fosse adoptado praticamente em todo o mediterrâneo e pelos romanos.

Representada como uma mulher levando sobre a sua cabeça o símbolo do seu nome Imagem1, Ast (o seu nome egipcio) que significa trono, sob a forma de uma escada (Is-Is, degrau-degrau = escada). Também pode levar os atributos de Hathor, os cornos de vaca em forma de lira e o disco solar entre eles, por vezes adicionando-se as duplas penas de Amon.

O que é verdade para os homens é mentira para os deuses, e o que é verdade para os deuses é mentira para os homens.

tronoO trono é a escada que chega ao Céu e pela qual se pode ascender, por isso ela é também a forma feminina do fogo. Ela é o trono de todos os deuses, a Natureza mesma, o cosmos na sua plenitude.

isis2A coroa em forma de abutre simboliza a Mãe, o amor aos filhos. É a vida que não se detém às portas da morte, pois devora a carne para que a alma se eleve aos céus.

isis3Os cornos da vaca representam todo o processo da vida, tanto no sentido filogenético quanto à matéria e o ciclo ascendente da libertação das almas da matéria. Também têm a forma de lira, pois Isis é a Senhora da Música, aquela que produz a vida, o ritmo, o movimento do pendulo da vida. Com o sol no seu interior é como um útero, transportando a vida pronta a nascer.

isis4As duas penas de Amon, reflectem o espírito interno do Sol, da vida, que vibrando fazem mover todo o universo. Elas são duplas, como as duas penas de Maat, a dupla verdade, como dizia Platão “O que é verdade para os homens é mentira para os deuses, e o que é verdade para os deuses é mentira para os homens”.

isis5O ceptro que Isis normalmente possui tem a forma de papiro, símbolo de renovação, do verde, do trazer à vida. Isis é também a “Senhora da Renovação”. O papiro é representado como um cálice, o graal, aquele que recolhe a essência ou espírito que é imortal e renova a vida. Era a “Senhora dos Grandes Verdes”: o espaço estrelado, o verde esmeralda do mar, o leito fértil do Nilo (enquanto Osíris era o Rio).

 

 

Outro símbolo associado a Isis é o Sistro e cujo som era aquele que desperta a vida, como descreve Plutarco na sua obra “Isis e Osiris”:

isis6O sistro indica também que todos os seres se devem manifestar, nunca devendo deixar de ser movimento, mas também despertá-los e sacudi-los, fazendo-os sair do seu estado de torpeza e marasmo. Os egipcios pretendiam, com efeito, que Tifon é afastado e recusado pela agitação dos sistros, dando-nos a entender que o princípio corruptor trava e detém o curso da natureza, mas que a geração, por meio do movimento, o desprende e o restabelece.

isis7Um símbolo profundamento associado a Isis era também o Ankh, a chave que abre as portas à vida eterna. Como Senhora da Vida é ela que aparece frequentemente insuflando o sopro divino da eternidade. A Ankh asume a própria natureza de Isis como a escada por onde as almas caninham para a eternidade. É a união entre o Céu e a Terra.

A sua cor é o vermelho, simbolo do fogo e do sacrifício, como expressões do amor divino, é o laço que une a criatura ao criador. O calor e luz simbolos do amor e sabedoria divina. O vermelho também era uma cor funerária, principalmente num sentido iniciático de transformação.

A forma animal sobre a qual é representada é de uma vaca ou também podendo aparecer um abutre sobre a cabeça. Também por magia, Isis converte-se em falcão, reanimando com as asas o seu esposo Osiris e é fecundada por ele, ficando grávida do seu filho Horus. Esses ventos produzidos pelo bater das asas de Isis são os ventos do amor e harmonia que fazem ressuscitar a alma.

isis10

isis11
Isis amamentando Horus

Isis é a dadora de vida mas também a cuidadora, aquela que fornece o alimento espiritual da vida que se relaciona com o seu atributo da vaca mas também nas representações em que se encontra amamentando o seu filho Horus.

Isis fazia-se acompanhar de sete escorpiões (Tefen, Befen, Mestet, Mestetef, Petet, Thetet e Mahet) que serviam de defesa contra Harsiase (que significa “filho de Isis”, sendo um dos aspectos de Horus, associado ao nascimento originado da concepção no momento do renascimento de Osiris).

O escorpião é aquele que purifica pela destruição, eles representam os venenos ou provas dos 7 planos da Natureza, venenos que se por um lado paralisam, matam, por outro podem curar e libertar a alma. Como já referimos Isís era a Senhora das Pirâmides, o neófito para entrar na Pirâmide tinha primeiro que passar pelo escorpião, símbolo do sacrifício, morrer para a matéria para nascer espiritualmente.

Isis é também a Feiticeira, à semelhança da Maya (ilusão) hindu, que não é mais do que o poder de transformação da natureza nas suas milhares de formas necessárias para a transmutação da alma. São os 7 véus de Isis, véus de ilusão que cobrem a verdade, a alma do mundo.

isis13
Tyet, o Laço ou Sangue de Isis

Isis é símbolo da União, do Amor pela Unidade (Osiris), buscando todos os pedaços. O esquartejamento de Osiris é o grande Sacrifício Divido para a manifestação do mundo na sua multiplicidade e Isis o Amor que vai unindo todas as partes de modo a que tudo se volte a reunir na Unidade. Símbolo dessa reunião é o Laço de Isis (Tyet), também chamado Sangue de Isis, o laço do amor que religa todas as partes.

 

isis14
Espelho com Isis

Outro dos seus símbolos é o espelho, onde se reflecte a verdadeira natureza da alma, como os espelhos mágicos que refere a Tradição onde os discípulos se olhavam e podiam contemplar a sua verdadeira natureza. Esse espelho é também a própria Natureza, onde se reflecte a alma do mundo, os arquétipos, é o mundo da encarnação que é reflexo do mundo espiritual que a origina. Como estrela Sirius é a Senhora que outorga os poderes espirituais que são reflectidos no seu espelho, é por isso a Senhora da Grande Inundação derramando os dons espirituais.

A sua assimilação de outras deusas femininas faz que por vezes apareça com outros atributos: um escorpião, deusa Serket; hipópotamo fémea, deusa Reret; cobra ou leoa, deusa Uadyet.

Isis é a “Senhora dos Mil Nomes”, pois é as mil formas de vida, o sangue que corre em todas as formas de vida. É a alma da natureza, a pedra mística alquimica que tudo transmuta.

Sirius (Isis) e Orion (Osiria)
Sirius (Isis) e Orion (Osiria)

Isis representa a realeza, a magia, a fidelidade conjugal e a grande mãe. Emanam dela a fertilidade e a maternidade, mas também, em companhia do seu esposo Osíris é a representação da ordem e do amor que unem tanto a nível político como familiar.

A sua morada nos céus é Sothis (Sirius) da constelação de Orion (associada a Osiris), razão pela qual recebe também o nome de Isis-Sothis.

Enquanto que Seth-Typhon representa os poderes do Caos e igualmente a cegueira da alma, Isis é o poder que dá harmonia à alma, gerando o seu filho que lutará contra Seth e Isis que chamará novamente à vida.

Senhora do Sicómoro
Senhora do Sicómoro

Isis é Também a Senhora do Sicómoro, cuja folhagem e a sua sobra simbolizavam o repouso e a paz da vida no além, repousando as almas dos mortos nos seus galhos em forma de pássaros.

 

Entre os “mil” nomes sob os quais foi amada encontram-se:

Aquela que dá origem ao Céu e à Terra
Aquela que conhece o órfão
Aquela que conhece a aranha viúva
Aquela que procura justiça para os pobres
Aquela que procura abrigo para as pessoas fracas
Rainha do Céu
Mãe dos Deuses
Aquela que é Todos
Senhora das Culturas Verdejantes
A mais brilhante no firmamento
Stella Maris
Grande Senhora da Magia
Senhora da Casa da Vida,
Aquela que sabe fazer o uso correcto do Coração
Doadora da Luz do Céu
Senhora das Palavras de Poder,
Lua brilhante sobre o Mar
Aquela que faz Sorrir
Senhora do Calor e do Fogo
A Fazedora de Reis

Bibliografia:

  • Dioses y símbolos del antíguo Egipto, de Juan Garcia Font, Ediciones Fausi
  • Diccionario de Mitologia Egipcia, de Elisa Castel, Ediciones Alderabán
  • Diccionario Básico de la Arqueologia Egipcia, de M. Brodrick y A. A. Morton, Ediciones Obelisco
  • Isis e Osiris, de Plutarco, Edições Fim de Século
  • The Gods of the Egyptians, de E. A. Wallis Budge, Dover Publications
  • -El Simbolismo de los colores, de Frédéric Portal, Ediciones Sophia Perenes
  • A Viagem Iniciática de Hipátia, de José Carlos Fernández, Edições Nova Acrópole
Comentários

Relacionados

Os Petróglifos Outro símbolo bastante presente nos petróglifos é a hacha ou machado, associado em todas as culturas ao raio e consequentemente à chuva e por isso com...
Qual a função das construções megalíticas? Há algo que podemos considerar comum a todos eles e que é uma função sagrada, olhando o mundo como imagem de uma ordem cósmica à qual se procura ligar...
As escolas médicas e filosóficas na Grécia antiga... A saúde é o resultado do equilíbrio das partes com o todo. Corpo, alma e sociedade eram considerados na Grécia como um todo inseparável, e portanto a ...
Ísis, a Deusa dos mil nomes Os mil nomes são os que suspiram todos os seres vivos, amando a vida e as almas querendo regressar ao seio do Pai Invisível, que é representado como u...
A construção dos monumentos megalíticos A forma como foram construídos os megálitos constitui realmente um dos seus grandes enigmas, mesmo que oficialmente as explicações sejam dadas de modo...