Florais de Bach, uma terapia para nos ajudar a controlar a influência das emoções na saúde

Nos dias de hoje tornou-se habitual relacionar determinadas doenças com uma origem emocional. Mas nem sempre foi assim, de facto, o mundo emocional tem sido um grande desconhecido embora para os clássicos, o seu estudo estava profundamente ligado à própria natureza humana. Sócrates e Platão estabeleceram ligações entre a alma, a quem chamavam de autêntico ser, e a vida psíquica ou mundo do sensível. Mundo sensível (psique) e mundo inteligível (alma) eram termos utilizados para explicar os problemas do ser humano e a sua vida anímica. Aristóteles, pela sua parte, senta as bases da psicologia como ciência filosófica e identifica psique com vida.

Precisamente de saúde e de filosofia versa este artigo e apresenta uma terapia que poderia ser chamada de filosófica e que é fruto do estudo e do trabalho de um grande médico inglês do início do século XX, o Dr. Edward Bach. Ele deu nome a esta terapia holística que acredita que as doenças tem uma origem emocional e mental e que, portanto, se trabalharmos na harmonização da nossa parte menos material estaremos a prevenir a aparição de futuras doenças. Ele dizia que: “A principal razão para o fracasso da moderna ciência médica é que ela está lidando com os resultados e não com as causas. (…) A doença nunca será curada ou erradicada pelos atuais métodos materialistas, pela simples razão de, em sua origem, a doença não ser material. Aquilo que conhecemos como doença é o resultado final produzido no corpo. O produto final de forças profundas e de longa atuação. E mesmo que o tratamento material seja aparentemente bem-sucedido, isso não é nada mais do que um alívio temporário, a menos que a verdadeira causa seja eliminada”.

O Dr. Bach estava a dizer aqui que a grande maioria das doenças tem uma origem emocional embora, também na grande maioria das vezes, não consigamos compreender onde é que está essa origem. E que o que conhecemos como doença, é uma somatização física. Se aliviarmos simplesmente a somatização, a causa continuará a estar presente ainda que soterrada e voltará a somatizar da mesma ou de outra maneira qualquer. Por isso ele acreditava que só atacando a causa ou as causas que originam a doença é que esta poderia ser eliminada na sua totalidade.

Durante muito tempo, o mundo emocional foi o grande esquecido e até desprezado na área da saúde. Mas hoje em dia e graças ao trabalho de muitos estudiosos, cientistas e pessoas ligadas à área da medicina, sabemos que o que pensamos e sentimos é vital para a prevenção e o estabelecimento da saúde.

Alguns exemplos de estudos em relação às emoções e como influenciam na saúde são:

  1. Jorge Carvajal que deu nascimento à Psico-neuro-inmuno-endocrino-ecologia que é o estudo das inter-relações mente-corpo e as suas implicações clínicas. O Dr. Carvajal dizia “nada acontece no meu pensamento sem que aconteça também na minha fisiologia”.
  2. O Dr. Hamer (internista, oncologista e radiologista), com o seu trabalho nos anos 80 do século XX, descobriu que cada doença é originada por um choque ou trauma para o qual não estamos preparados. Segundo a sua teoria, no momento do conflicto inesperado, o choque impacta numa área específica do cérebro e produz uma lesão (mais tarde chamada Foco de Hamer) que pode ser visível através de um scanner cerebral; esta lesão será a que vai gerar mais tarde uma doença como resposta ao choque. O Dr. Hamer afirma ter confirmado os seus descobrimentos através do estudo de mais de 40.000 casos.
  3. Dethlefsen e Dahlke, “A enfermidade como caminho”, a partir de Jung começam uma divulgação pública da influência da psique nas patologias físicas.
  4. Edward Bach. Médico especializado em bacteriologia, imunologia e saúde pública e criador do sistema terapêutico que leva o seu nome.

A terapia do Dr. Bach trabalha com as emoções na prevenção da saúde. Segundo a sua filosofia, toda ela contida no seu livro “Cure-se a se mesmo”, as pessoas podem trabalhar as suas emoções negativas a partir das positivas e conseguir a transmutação da sua psique e da sua personalidade. Esta transmutação ou melhor, libertação dos seus elementos emocionais negativos, farão com que a pessoa atinja um estado de bem-estar a todos os níveis que irá repercutir na sua saúde de forma positiva. É importante ter em conta que os seres humanos estamos conformados por diferentes planos ou campos de acção, desde o material até o mais elevado e subtil e que todos eles estão inter-relacionados; e que o mundo emocional forma parte desses outros planos mais subtis mas que influenciam os outros.

Podemos pensar num exemplo para ilustrar isto: imaginem um dia em que acordam bem dispostos, com boa saúde, uma boa energia e bom ânimo para começar o dia. Entretanto, ao longo da manhã recebem uma notícia devastadora; imaginem a que quiserem mas que os deixe muito afectados emocionalmente, pode ser o falecimento de um ser querido, uma doença súbita, etc… o que aconteceria com toda a boa disposição do início do dia? É evidente que na maioria dos casos, seria impossível continuar a jornada e teriam que se tratados. É o que fazem os psicólogos quando acontece uma desgraça e tem que atender as pessoas. Um outro exemplo: não sei se alguém já esteve alguma vez paralisado, literalmente, pelo medo. O medo é uma das emoções negativas mais importantes e mais presentes na nossa vida e pode chegar a ter tanto poder como para tomar conta da nossa vontade. Imaginem uma criança perante o seu primeiro dia de escola e que sente pânico desta nova situação; o seu medo, se ficar descontrolado, pode fazer com que a criança adoeça, simplesmente de medo. E não é estranho o que estou a dizer porque todos os anos temos casos assim nas escolas de primária.

Portanto, é inegável que o mundo emocional tem o poder de “imiscuir-se” nos outros planos: físico, vital e até mental. Mas o processo pode ser á inversa, da mesma maneira que pode influenciar negativamente, a psique pode influenciar positivamente.

Isto é o que fazem os Florais de Bach. Ajudam às pessoas a conhecer o seu mundo emocional; ajudam a equilibra-lo de forma a conseguir uma transmutação, com o tempo, da própria personalidade. E ajudam a reconhecer quando é que as nossas emoções negativas estão a tomar conta da nossa vontade e a controlar a nossa vida.

Talvez e chegados a este ponto, muitos de vocês se perguntem quem era este Dr. Bach?

Dr. Edward Bach (1886-1936)
Dr. Edward Bach (1886-1936)

O Dr. Edward Bach nasceu em 1886 perto de Birmingham, na Inglaterra. Desde criança demonstrou uma grande sensibilidade e um grande amor pela natureza. Desde cedo já demonstrava a sua aptidão para a medicina.

Aos 20 anos ingressou na Faculdade de Medicina de Birmingham e após a conclusão do curso, especializou-se em bacteriologia, imunologia e saúde pública.
Como médico o Dr. Bach pôde observar como os pacientes reagiam às enfermidades e como essa reacção influenciava no decurso das doenças. Observou que o mesmo tratamento aplicado a pessoas diferentes, nem sempre tinha o mesmo efeito.

Percebeu, também, que medicamentos eficazes para algumas pessoas nem sempre actuavam noutras, e que pacientes com temperamentos similares curavam-se com remédios também similares. Ficou evidente a importância do caracter do doente e que este tinha influência no tratamento a ser administrado, e o mais importante, o corpo físico ficou menos importante que o equilíbrio emocional.

Em 1919, passou a trabalhar como patologista e bacteriologista do Hospital Homeopático de Londres, onde pôde desenvolver as suas próprias ideias sobre homeopatia. Em 1929, o Dr. Edward Bach era respeitado na área médica em toda Europa, mas obedecendo a um chamamento interior abandonou todas as suas actividades e partiu para o campo, em busca de novos remédios.

Entre 1930 e 1934 descobriu os 38 remédios florais e escreveu os fundamentos da sua nova medicina. De volta à cidade o Dr. Bach pôde verificar a eficácia das suas essências florais e a ajuda que as mesmas poderiam proporcionar a doenças de origem emocional.

O Dr. Bach morreu em 1936, deixando com o seu trabalho as essências florais que são utilizadas até hoje. O trabalho do Dr. Bach possibilitou uma nova visão das doenças, buscando uma razão emocional para as mesmas e tratando-as com uma combinação das suas 38 essências florais.

Para o Dr. Bach a doença era o resultado de uma desarmonia entre a Alma e a Personalidade; ou seja, a personalidade que não segue os ditados da alma que, segundo ele, é que sabe o propósito da nossa existência. Para o Dr. Bach, o propósito da nossa vida é a aprendizagem, a evolução da nossa alma e a personalidade é um instrumento para esse propósito. Quando se desvia do objetivo e entra em conflito com a alma surge a doença. O restabelecimento da saúde aparecerá quando o equilíbrio interior seja recuperado. Disse o Dr. Bach: “(…) a doença é, essencialmente, o resultado do conflito entre a Mente e a Alma e só será erradicada através de esforços mentais e espirituais. Tais esforços, se realizados adequadamente e com compreensão (…) podem curar e evitar a doença ao eliminar aqueles fatores básicos que são a sua causa principal.”

De forma muito resumida, vejamos algumas das ideias do Dr. Bach em relação à doença:

Verdades fundamentais para conhecer a doença:

  1. O corpo é um reflexo da Alma imortal. A nossa Alma protege-nos, anima-nos e conduz-nos no nosso percurso de Vida.
  2. A nossa Alma determina as circunstâncias que precisa para o seu desenvolvimento espiritual. O propósito do nosso nascimento é a evolução e o aperfeiçoamento da nossa natureza.
  3. A nossa Alma é imortal e o nosso corpo é mortal; é um mero instrumento para a evolução da nossa alma. A nossa vida é simplesmente uma passagem no percurso de toda a nossa evolução.
  4. A doença é produto de um conflito entre a personalidade e a Alma. O conflito surge quando a personalidade deixa de ouvir os ditados da Alma.
  5. Tudo o que está manifestado é um prolongamento de Deus, ou seja, tudo forma parte de um todo. Este é o princípio da Unidade de todas as coisas.

 

Conflitos (erros) que originam a doença:

  1. Dissociação entre a nossa Alma e a nossa personalidade.
  2. Crueldade ou maldade perante os outros = pecado contra a Unidade.

Estas são algumas das ideias que o Dr. Bach desenvolveu ao longo da sua vida; são o resultado dos seus experimentos e pesquisas. Toda a sua filosofia está exposta no seu livro CURE-SE A SI MESMO.

Capa do livro “Cure-se a si mesmo”, de Edward Bach

Vejamos agora algumas ideias sobre a terapia em si e como podemos trabalhar as nossas emoções com ela.

A terapia do Dr. Bach é um composto de 38 remédios energéticos. Aportam um padrão energético/informativo que utiliza a água como elemento canalizador. Estão elaborados a partir de plantas, mais concretamente, a partir da flor da planta. Não se utiliza mais partes da planta do que a flor.

Estes remédios estão reunidos em 7 grupos em função da emoção base com a qual trabalham:

  1. Medo
  2. Incerteza
  3. Falta de interesse
  4. Solidão
  5. Hipersensibilidade
  6. Desespero
  7. Excessiva preocupação

Pela sua vez, cada grupo contem vários remédios ou Florais com uma missão específica dentro da emoção que tratam:

Grupo Aprendizagem Floral Sintoma Efeito positivo
1 Medo Encare os seus medos Mimulus para quem tem medo de coisas conhecidas. Timidez Coragem
Aspen para quem tem medos indefinidos ou que não consegue explicar Clarear a intuição
Rock Rose para quem sofre de ataques de pânico, terror, somatiza o medo Bem estar
Cherry Plum para quem tem medo de perder o controlo Autocontrolo
Red Chestnut para quem tem medo que vá acontecer algo com os outros Pensamento protector normalizado
2 Incerteza Conheça a sua forma de pensar Cerato

 

Para quem tem dificuldade de pensar por si Confiar na sua intuição
Gentian Floral para quem desiste facilmente Acreditar
Gorse Para quem sente-se derrotado Esperança
Hornbeam para quem não tem vontade de realizar as suas tarefas diárias Prazer nas obrigações
Sclerenthus para quem vive indeciso entre duas opções Decisão
Wild oat para quem sente que não encontrou o seu lugar na vida Direção e vocação
3 Falta de interesse Viva o presente Chestnut Bud

 

para quem erra sistematicamente Aprendizagem
Clematis para quem é confuso, sonhador e distraído Concretizar ações
Honeysuckle Para quem vive preso ao passado Libertação
Mustard Para quem se sente deprimido e melancólico Alegria
Olive Para quem esta esgotado Revitalização
White Chestnut para quem tem ideias fixas e pensamentos persistentes Calma mental
Wild Rose para quem está apático Vibração
4 Solidão Abra-se para os outros Heather Para quem aborrece os outros com os seus problemas Compreensão
Impatiens Para quem é impaciente e não sabe esperar Paciência
Water Violet Para quem vive só e acha não precisar de outros Socializar
5 Hipersensibilidade Seja você mesmo Agrimony

 

para quem evita ver ou tomar consciência do que se passa consigo Paz interior
Centaury Para quem é subserviente Fortaleza
Holly Para quem sente ódio constantemente Amor
Walnut Para quem está a passar por períodos de transição e mudança Individualidade
6 Desespero Encontre a alegria e a esperança Crab Apple Para quem acha ou se sente sempre sujo Auto Estima
Elm para quem se sente abatido Missão
Larch para quem tem complexos de inferioridade Auto Confiança
Oak para quem tem demasiadas responsabilidades Força
Pine Para quem sente muitas culpas e remorsos Auto-perdão
Star of Bethlehem para quem não esquece traumas do passado Consolo
Sweet Chestnut Para quem se sente impotente perante os acontecimentos Saída
Willow Para quem se lamenta em excesso e se sente vítima Libertação
7 Excessiva preocupação Viva e deixe viver Beech Floral para quem faz criticas exageradas e rejeita os outros Tolerância
Chicory Para quem vive o amor de forma possessiva Amor altruísta
Rock Water para quem é fanático e rígido Flexibilidade
Vervain Para quem vive sob o excesso de entusiasmo Entusiasmo
Vine Para quem gosta de mandar em excesso Liderança

 

Os tratamentos com Florais de Bach podem ser mais ou menos extensos no tempo. Para situações onde a causa a tratar seja recente, bastará tomar os florais durante um curto espaço de tempo. Por exemplo: perante um medo repentino como pode ser actuar em público ou uma sobrecarga de trabalho temporária, poderemos utilizar o floral indicado nessa situação e o choque emocional se dissolverá logo. Em situações onde o problema seja mais profundo haverá que prolongar o tratamento e será necessário a supervisão de um terapeuta acreditado.

É importante dizer que o tratamento dos Florais de Bach não entra em conflito com qualquer outro tipo de tratamento. Não tem qualquer tipo de contra-indicação. Esta terapia trabalha a nível de prevenção e de harmonização do ser humano em todos os seus níveis mas não trabalha as doenças uma vez que elas já estejam somatizadas. Nestes casos, os Florais de Bach podem acompanhar os tratamentos indicados.

Para terminar dizer que uma das grandes preocupações do Dr. Bach era a simplicidade e a pureza. Ele era consciente das dificuldades que as pessoas tinham em aceder aos tratamentos médicos e trabalhou incansavelmente para simplificar o seu método de forma que qualquer pessoa pudesse beneficiar-se dele, mesmo que não tivesse conhecimentos médicos. E é por isso que os Florais de Bach têm tantos seguidores no mundo; são poderosos e ao mesmo tempo simples de utilizar.

É impossível, na curta extensão de um artigo, aprofundar mais na metodologia, filosofia e administração desta terapia. Mas espero que estes pequenos apontamentos, tenham servido para despertar a sua curiosidade.

(Comunicação apresentada no Colóquio “Saúde e Filosofia”.
Braga, 17 de Outubro de 2017)
Comentários