Como construir castelos entre os Homens

Existe na Catalunha a tradição de erguer “castelos” de Homens. A prática remonta ao século XVIII e é hoje considerada pela UNESCO como património da humanidade. De entre os diversos tipos de “castelos”, o maior e mais grandioso necessita de cerca de duas mil pessoas para subir dezassete metros de altura, o mesmo que um prédio de cinco andares. O primeiro nível chama-se pinha e é formado por centenas de pessoas comprimidas e unidas umas às outras. É essa união que protegê-los-á caso o azar faça o “castelo” desabar. Por cima da pinha é construído o forro, e depois ainda a manilha. São estes três primeiros níveis que suportam a torre, onde cada nível conta apenas com quatro pessoas firmemente agarradas umas às outras. Quanto mais se sobe no “castelo” mais a subtileza substitui a força. Enquanto na base reina a resistência física, nos níveis superiores é necessário tanta confiança nos demais como coragem para chegar cada vez mais alto. Estes níveis são normalmente formados por mulheres que, depois, suportam as crianças que sobem pelas suas costas até ao cume. Nesse instante sublime onde o “castelo” está formado, vê-se aquela que devia ser a estrutura de qualquer organização humana.

A base do “castelo” é formada por uma estrutura coesa de irmãos de armas dispostos a dar a vida uns pelos outros. São eles que permitem que tudo o resto seja construído sob os seus ombros. Não há espaço para egocentrismo ou inveja entre as suas fileiras unidas unha com carne. Eles sabem que não chegarão ao topo, nem tampouco aparecerão nas fotografias, mas que importa isso quando o resultado do seu esforço está visível para todos?

A construção da base do “castelo” / Tower competition

Quem mais sobe, mais alcança, mas nunca se pode esquecer dos companheiros que tornaram a sua subida possível. Afinal de contas, é neles que assentam os pés descalços. Além disso, quem sobe, não o faz apenas por si, mas pelo ideal que atravessa a própria estrutura. No cume, a última criança levanta a mão, e juntos, todos tocam o céu.

O “castelo” é suportado por valores e impulsionado por um ideal. Os valores são a coragem, a confiança, a união, etc… sem eles não haveria sequer o primeiro nível. O ideal é a eterna e profunda busca que leva o Homem a olhar para cima e chegar mais alto. Sem valores e sem um ideal, seria impossível chegar tão alto.

E depois de alcançar o céu? Aí segue-se a etapa mais difícil. Desconstruir o “castelo” é tão perigoso como construí-lo, pois é durante a euforia da vitória que os acidentes acontecem. E mais que uma lição de prudência, mostra-nos que em cada projeto grandioso existe um início, um meio, e, necessariamente, um fim.

Através da mão da criança, todos tocam o céu / Hiveminer – Cargolins

Relacionados

La historia universal con un propósito cosmopolita... La unión de esfuerzos voluntarios podría suscitar, en todos los interesados en un mundo mejor, un sentido del todo que, después de muchas revoluciones...
O Homem e o Mundo: uma filosofia em ação Talvez que a maior dificuldade com que se depara a Nova Acrópole seja a de propor uma via espiritual e prática no meio de um conjunto de ideias que tu...
Leonardo e o renascer da civilização Mas não basta a presença dos arquétipos para garantir a bondade da realização. É necessária a compreensão e a manutenção da Unidade. Não bastou procla...
Os desafios do voluntariado Percebemos que existe no Ser Humano uma necessidade intrínseca de entregar-se a um projeto ou uma obra de ajuda ao outro, pela inevitável conclusão de...
O Valor do Trabalho A Vida é como uma corrente que flui, que está em movimento e nós não podemos estar fora da Vida. Assim, cabe-nos fluir, mover, actuar e trabalhar.
Os problemas e as soluções do mundo O mito do crescimento económico afirma ser possível manter uma quantidade cada vez maior de dívida e arcar com os juros crescentes. Ao mesmo tempo, e ...

1
Deixe um comentário

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  Subscrever  
mais recente mais antigo mais votado
Notificação de
Fernão Pedro Lobo

Incrível! Desconhecia esta tradição. É inacreditável o resultado claro está mas, mais importante e surpreendente, é o processo até chegar a ele. Excelente lição de Filosofia para todos, na qual se destaca a importância da união, da coragem e da necessidade de cada um encontrar e assumir o seu papel. Quando há algo vivido e partilhado entre muitos elementos desaparece a individualidade, não se abdicando nunca da identidade; tal como nos nossos corpos uma célula x não deixa nunca de o ser, apesar de a sua função estar integrada no funcionamento geral do corpo humano. Façam-se mais castelos de Homens… Read more »

%d bloggers like this: